Mamoplastia: Quando Fazer a Cirurgia das Mamas?

Apesar de estarem entre as cirurgias plásticas mais realizadas, existem diferentes tipos de cirurgia das mamas para atender demandas distintas das pacientes, o que pode causar confusão sobre a indicação da técnica.

A cirurgia das mamas, também chamada de mamoplastia, é recomendada para correção de diferentes aspectos indesejados. Saiba mais a seguir e conheça os tipos de procedimentos realizados.

O que é mamoplastia?

É chamada de mamoplastia toda cirurgia plástica que modifica o formato ou tamanho das mamas, seja para maior ou menor. O procedimento é sempre indicado visando tornar os seios mais harmoniosos e proporcionais ao restante do corpo.

A cirurgia das mamas é indicada para corrigir diferentes insatisfações ou mesmo problemas estéticos com as mamas, como:

  • seios pequenos;
  • mamas muito grandes que provocam dores nas costas;
  • assimetrias nos tamanhos;
  • flacidez;
  • mamas caídas;
  • reconstrução da mama em caso de mastectomia (retirada total das mamas).

Portanto, as demandas pela mamoplastia são diversas de forma que mulheres com diferentes insatisfações possam optar pelo procedimento para aumentar a autoestima, satisfação pessoal, etc.

Quais os tipos de cirurgia das mamas?

Como visto, a cirurgia das mamas pode atender diferentes necessidades. Dessa forma, o procedimento também recebe nomes específicos de acordo com a insatisfação ou situação que ele corrige. Conheça a seguir!

  • Aumento: talvez a técnica mais conhecida é a mamoplastia de aumento, que consiste no implante de próteseS de silicone para dar mais volume as mamas pequenas;
  • Redutora: técnica que tem indicações funcionais para pacientes que têm as mamas muito grandes. Essa condição pode provocar dores nas costas, machucados no local da alça do sutiã, entre outras situações incômodas e limitantes à paciente, o que justifica a retirada do excesso de gordura e pele;
  • Reparadora: cirurgia das mamas indicada para pacientes que têm assimetrias, como diferença nos tamanhos, formato da aréola, posição das mamas, entre outras situações desconfortáveis à paciente;
  • Reconstrutiva: procedimento que reconstrói a mama após a mastectomia, necessária em casos de câncer de mama. Nesse tipo de cirurgia das mamas, o profissional faz o implante de uma prótese de silicone para devolver o tamanho das mamas e também faz a reconstrução da aréola;
  • Mastopexia: técnica de mamoplastia recomendada para pacientes com as mamas caídas ou flácidas, sendo uma indicação comum após múltiplas amamentações. Nesse caso, o cirurgião plástico responsável pode avaliar a necessidade de implante da prótese para também devolver o volume a região.

Devido às particularidades de cada procedimento, é importante que a avaliação e indicação da cirurgia das mamas sejam realizadas por um cirurgião plástico de confiança e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Quando realizar uma mamoplastia?

A mamoplastia é indicada para mulheres que estejam insatisfeitas com o formato ou tamanho dos seios, ou apresentam problemas decorrentes dessas questões, como dores devido ao volume excessivo das mamas.

No caso da técnica reconstrutiva ela é indicada para pacientes que passaram por procedimentos de remoção completa de uma ou ambas as mamas.

Algumas das motivações mais comuns para realização da cirurgia das mamas são: peitos pequenos, tamanho desproporcional ao corpo, excesso de volume nas mamas, flacidez ou caimento.

Destaca-se ainda que a técnica é indicada apenas para pacientes a partir dos 17 anos, idade na qual as mamas já estão desenvolvidas. Nessa idade, entretanto, é necessária a autorização dos pais ou responsáveis.

A cirurgia das mamas é benéfica para que as mulheres sintam-se mais confiantes e melhore a autoestima, sendo importante contar com um profissional especializado e de confiança para realização dessa cirurgia plástica.