Cuidados específicos no pré-natal

O pré-natal é o atendimento obstétrico para cuidados básicos com  saúde da mãe e do bebê. Aos casais que planejaram a gestação ele começa três meses antes da concepção, os que não, deve ser iniciado assim que descoberta a gravidez.

O Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento (PHPN), do Ministério da Saúde, recomenda seis consultas de pré-natal divididas entre as 40 semanas gestacional. No atendimento particular esse número é maior, podendo chegar a 10 consultas.

O número de encontros com o obstetra dependerá da saúde da mãe e do bebê. Mulheres que apresentam gestação de risco, esses encontros são mais frequentes e o pré-natal deve ser mais atencioso.

Ao longo de 40 semanas é importante o contato entre a gestante e o obstetra para que a gestação ocorra de forma tranquila e o momento do parto seja de alegria e não de preocupação.

Encontros com o obstetra

No atendimento particular, os encontros são em maior quantidade, sendo a média:

  • Uma vez por mês até 28 semanas;
  • A cada quinze dias das 28 até as 36 semanas;
  • Semanalmente das 36 semanas até o momento do parto.

Mulheres que são assistidas por planos de saúde ou podem custear o pré-natal contam com uma assistência mais completa. Isso não significa que o atendimento público é ruim, ele segue todas as diretrizes básicas para que a gestante e o bebê não corram riscos durante a gestação.

Exames comuns no seguimento pré-natal

A gestante terá de realizar alguns exames ao longo da gestação. As ultrassonografias são as mais esperadas, uma vez que os pais poderão ver o bebê, ouvir o coraçãozinho e saber se está tudo bem com ele.

As ultrassonografias solicitadas durante o pré-natal são: ultrassom obstétrico transvaginal; o obstétrico morfológico do 1° trimestre feito entre 11 a 14 semanas; ultrassom obstétrico; o ultrassom obstétrico morfológico do 2° trimestre entre 20 a 24 semanas e o obstétrico com dopplerfluxometria colorida.

Na ultrassonografia é possível identificar e/ou descartar a presença de malformação fetal, assim como acompanhar o desenvolvimento do bebê.

A gestante faz ainda uma série de exames durante o pré-natal, sendo eles:

  • Hemograma completo;
  • Tipagem sanguínea;
  • Sorologias;
  • Urina tipo I/ Urocultura;
  • Parasitológicos de fezes;
  • Glicemia de Jejum;
  • TSH / T 4 livre.

Doenças detectadas durante o pré-natal

As mudanças ocorridas no organismo feminino podem resultar em algumas complicações. Pressão alta, diabetes gestacional e pré-eclâmpsia podem se desenvolver ao longo da gestação.

Com  o acompanhamento pré-natal tais situações são identificadas de forma precoce, evitando qualquer problema a gestante e ao bebê.

Quando a mulher não realiza o acompanhamento junto ao obstetra, os riscos de abortamento e prematuridade são maiores.

Pré-natal a via de parto

É durante o acompanhamento pré-natal que pode ser escolhida a via de parto. Normal, natural, humanizado ou cesariana: tudo dependerá da saúde da mulher e do bebê.

Por isso, é recomendado que a mulher não engorde mais de 15 quilos durante a gestação e que esteja com os exames em dia, para que o parto ocorra sem intercorrências. Essas são informações básicas sobre os cuidados específicos  no pré-natal. Em caso de dúvidas, tire-as junto ao obstetra.