Você Já Teve Dor no Pescoço? Descubra a Causa

Com as novas profissões, temos passado muito tempo na frente do computador o que pode gerar um desconforto generalizado.

O pescoço é a região de conexão entre cabeça, membros e tronco. Nessa região há um agrupamento de ossos, massa muscular, sistema nervoso e glândulas, artérias, veias e vasos linfáticos. O pescoço é composto por 7 vértebras enumeradas de 1 a 7 conforme o seu posicionamento. Esses ossos envolvem a medula (que é o conjunto de nervos) e as meninges (tecido que recobre os nervos), estruturas relacionadas com o Sistema Nervoso Central. Entre as vértebras, situam-se os discos intervertebrais. Essas estruturas fibrocartilaginosas estão presentes entre todos os corpos vertebrais.

As dores no pescoço geralmente são insidiosas, ou seja, quando os sintomas já se instalaram. Raramente tem início súbito. Os sintomas mais comuns são: rigidez local, alteração na mobilidade, dor à palpação, dor no ombro e até mesmo dores e formigamentos nos membros superiores. Em casos graves, a dor cervical pode estar relacionada com tumores e/ou outras infecções.

As causas podem decorrer do envelhecimento causando osteoartorse, doenças discais e estenose do canal vertebral;  movimentos excessivos, sustentação da postura por longos períodos, alterações ergonômicas, desordens da ATM (articulação da boca) e traumas (acidentes e quedas).

O tratamento medicamentoso consiste no uso de analgésicos e antiinflamatórios. Relaxantes musculares são indicados quando a região cervical apresenta como sintoma a tensão muscular.

Os tratamentos fisioterapêutico é primordial na recuperação de cervicalgias. A avaliação consiste em avaliar a mobilidade da região, força muscular e inspecionar a região. Durante a inspeção deve-se atentar aos pontos dolorosos, posicionamento da vértebra, se há ou não presença de sinais inflamatórios e até mesmo realizar um exame postural. Ressalta-se também a necessidade de verificar áreas adjacentes à região cervical, tais como ombro, articulação temporo-mandibular ( ATM) e membros superiores.

Os objetivos do tratamento são diminuir a dor, devolver mobilidade e recuperar a força muscular. Para diminuir a dor temos como recurso o ultrassom na frequência de 1MHz, Laserterapia, Ondas Curtas e Magneto terapia. Pode ser utilizado também o TENS convencional visando diminuir a dor em recurso combinado com a mobilização passiva. Para restaurarmos a mobilidade utilizamos a movimentação passiva e alongamentos dos músculos da região. A quiropraxia apresenta ótimos resultados, onde o fisioterapeuta leva o segmento até o final do movimento fisiológico e aplica um movimento curto e rápido devolvendo assim o movimento do local.

A recuperação de força pode ser restaurada com exercícios de pilates, tratamentos de RPG e estabilização segmentar.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz