Uma Nova Maneira de Amar

Mais do que nunca a frase “Qualquer maneira de amor vale a pena” faz sentido. Neste momento de tanto desamor, indiferença e sacanagem, o afeto é completamente bem-vindo, qualquer que seja a sua forma. Não estou falando somente do amor romântico, aquele que acontece entre duas pessoas. Falo do amor que flui o tempo todo, em todas as direções, a qualquer hora. Isso é o que está faltando. Você pode ser uma fonte de amor. Sendo amoroso com cada um que você encontra, amoroso em tudo o que faz.

Não acredito nessa coisa de você concentrar toda a possibilidade de amar em uma só pessoa ou em um grupo limitado de pessoas. Acho até que este mundão chegou no ponto em que chegou exatamente por este modo de pensar. Neste sentido, o amor universal é a única saída. Conheço muitas famílias que convivem com seus filhos em uma espécie de redoma, vendo o mundo externo como uma ameaça. O resultado disso são pessoas bastante limitadas, desconfiadas, sem nenhum senso de cooperação social.

Neste começo de século, tudo começa a mudar. A prática dos encontros questiona os valores do recente século passado: há agora um consenso de que o mais importante é a qualidade do relacionamento e não o tempo que ele dura. O interesse individual passou a ser a ordem suprema. Na busca da autenticidade, muitos conceitos vão sendo questionados. Cada um desenvolve as suas próprias convicções, querendo que o outro se comporte de acordo com elas.

Você espera receber aquilo que precisa e esquece que a natureza do amor está exatamente no oposto: no  interesse genuíno em colaborar com o crescimento alheio, no desejo de participar na construção de um mundo melhor. Cada um é diferente e tem seu jeito de ser e por isso não há regras que sirvam para todos, mas isto não nos dispensa de princípios básicos do bom relacionamento, particularmente apoiados no respeito.A maturidade deste momento está na busca do respeito de dentro para fora e não a partir de uma ordem externa que determina o certo e o errado. A base é o respeito por si mesmo, o reconhecimento do ser único cada um é. Somente assim, você também reconhecerá as diferenças  e que está tudo bem. Somente assim, aprenderemos a ser mais tolerantes, deixando de impor o nosso ponto de vista numa eterna disputa que nunca tem fim.

Agende um aconselhamento com Sergio Savian, autor deste texto, pelo telefone 011 2368-9305 ou escreva para atendimento@sergiosavian.com.br

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz