Tratamento para Engravidar Pode Contar com Gesto Altruísta

Diversos casais têm dificuldade em engravidar naturalmente, com diversos problemas alterando a fertilidade do casal e suas chances de gestação. Em alguns casos, um tratamento para engravidar pode surtir efeito, mas em outros é necessário recorrer à doação de gametas.

A doação de espermatozoides é mais comum, mas as mulheres também podem realizar uma ovo doação e ajudar uma outra mulher a realizar o sonho de se tornar mãe com a doação de gametas. O gesto é altruísta e anônimo, com o sigilo garantido. A mulher que receberá os óvulos não pode conhecer e não tem nenhuma informação sobre a doadora e vice-versa. Pagar pelos gametas é proibido, mas a receptora pode financiar o tratamento realizado para a doação.

Como é feito o procedimento?

Para realizar a doação, a mulher deve buscar uma clínica de fertilização que ofereça o serviço como tratamento para engravidar. Após análise da doadora, ela passa a ter seus ovários estimulados através de hormônios, afim de produzir mais óvulos e com melhor qualidade. Parte dos óvulos gerados são então colhidos. A receptora também recebe hormônios no período, para o espessamento do endométrio.

Em laboratório, os óvulos coletados são inseminados artificialmente com o espermatozoide do marido da receptora. Após 3 a 5 dias de desenvolvimento em laboratório, o embrião é transplantado para o útero da receptora. Para doar parte dos óvulos, a mulher precisa assinar um termo no qual explicita a doação, concordando que não terá direito nenhum sobre a criança que poderá ser gerada através de seu gameta e com o tratamento para engravidar. Além disso, a doadora deve:

  • Ter menos de 30 anos;
  • Não ter doenças infectocontagiosas;
  • Não possuir histórico de doenças genéticas na família;
  • Tipo físico e sanguíneo compatível com o da receptora;
  • Bom potencial ovariano.

Antes do tratamento para engravidar ser realizado, o casal receptor passa por entrevistas psicológicas, uma vez que devem estar cientes de que a criança gerada não deve ser tratada de forma diferente só por não compartilhar do material genético da manhã. A doadora por sua vez, também recebe orientação psicológica, uma vez que não terá nenhum contato com a criança que possa ser gerada a partir de seu óvulo e ter desprendimento é necessário nessa situação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *