Arquivo da tag: meio ambiente

Sacolas Biodegradáveis e Oxibiodegradáveis – Conheça a Diferença

Nunca produzimos tanto na história como hoje. Os avanços na tecnologia e o consumismo elevam drasticamente os níveis de produção. Nada mais justo com a natureza e com nós mesmos mudar alguns hábitos para desvencilhar os impactos ambientais.

A sustentabilidade é o ponto de partida para a nova engrenagem mundial. Combustíveis alternativos e sacolas plásticas do bem são propostas que devem ser adotadas para que possamos contribuir com o espaço com o qual compartilhamos.

As sacolas biodegradáveis e oxibiodegradáveis são oferecidas pelo mercado como alternativa ecologicamente correta. Porém, tais opções têm o lado bom e ruim para o ambiente. Antes de tudo, é importante saber a diferença entre estes dois tipos.

Conceito de biodegradável

As sacolas biodegradáveis precisam de organismos vivos para decompor o material plástico. Isso acontece devido à matéria-prima da sacola, que é orgânica, como cana-de-açúcar, mandioca, milho e batata. Assim, os resíduos da decomposição não são tóxicos ao meio ambiente e não são acumulados. Este processo finaliza em aproximadamente um ano, dependendo das condições ambientais em que a sacola estiver.

Porém, há a discussão ética no uso de alimentos para fabricar sacolas, levando em consideração da disparidade mundial na distribuição de alimentos, em que muitos passam fome. Para se ter uma ideia, são usados aproximadamente três quilos de açúcar para conseguir fabricar um quilo de plástico biodegradável. Além disso, há o peso do processo de decomposição, pois são liberados chorume e gases de efeito estufa, aumentando assim os índices de aquecimento global.

Conceito de oxibiodegradável

As sacolas oxibiodegradáveis recebem, na sua fabricação, um aditivo para acelerar a degradação. No final, ele não desaparece, e sim se divide em vários pedaços menores. O lado negativo é que o produto final da decomposição é um pó que facilmente pode entrar em contato com rios, lagos e mares. Enfim, há chances de consumir água com plástico misturado. Além disso, as pequenas partículas podem ser consumidas por animais, causando sérios danos a eles.

Nós estamos aqui, convivendo juntos no mesmo ambiente, somos acompanhantes uns dos outros e os destinos de todos nós, estão ligados uns aos outros, de forma que se eu contribuir para a poluição do rio da minha cidade, as pessoas da minha cidade e das outras cidades onde o rio passa irão sentir o efeito da minha ação, assim como eu sinto quando outras pessoas poluem o ar. Precisamos pensar e principalmente agir de forma a recuperar e preservar um ambiente limpo e saudável para as futuras gerações.

Enfim, se queremos consumir de forma consciente, no sentido amplo da palavra, o adequado mesmo é diminuir ou acabar com o consumo de sacolas plásticas, independente da natureza que elas forem. De uma forma ou de outra, qualquer escolha acarretará, em maior ou menor proporção, algum dano ao meio ambiente.

Casa Subterrânea Sustentável

Um ex-jogador de futebol, o inglês Gary Neville, considerado uma lenda do Manchester United, construiu uma casa subterrânea em meio à natureza, totalmente projetada para aproveitar os recursos renováveis através da geração de energia solar e eólica.

A responsabilidade ambiental e a escolha do jogador em morar em um imóvel sustentável gerou certa polêmica. De acordo com o próprio Neville, alguns dos antigos companheiros de profissão não entendem a opção do jogador. Talvez seja necessário explicar melhor o conceito, individualmente. “A verdade é que as pessoas estão começando a entender. Em uma atmosfera de grupo, acaba virando brincadeira, mas aos poucos, eles entendem”, comentou o jogador ao jornal inglês The Telegraph.

O projeto da casa subterrânea

Foi necessário aguardar 18 meses para ele conseguir a permissão para construir o imóvel “zero carbono” no subsolo. O projeto do lar sustentável foi desenvolvido em forma de pétalas, possui 750 metros quadrados e apenas um andar, que abriga ao todo seis ambientes denominados: relaxar, trabalhar, comer, brincar, entreter e dormir.

Assim como outros imóveis que utilizam recursos renováveis, a casa de Gary Neville é equipada com uma turbina eólica e painéis solares para gerar a energia, além de um sistema de recuperação da água da chuva.

A responsável pelo projeto da casa foi a empresa Make Architects que leva em consideração o emprego de materiais de construção que podem ser encontrados localmente. A inspiração para a construção da casa veio de Skara Brae, uma povoação do período neolítico, localizada na Escócia e considerada por muitas pessoas como um dos monumentos mais notáveis da Europa.

Fazer a diferença

Para o jogador, a opção de levar uma vida com menos impactos ao meio ambiente representa uma evolução pessoal. Ele ainda acredita que muitas outras mudanças precisam ocorrer para mudar realidade do mundo atual.

“Percebi que eu tinha que mudar e fazer a diferença. Acho que todo o mundo está sentindo necessidade de mudar a cada dia. O preço dos combustíveis, o meio ambiente, as mudanças climáticas. Todas essas questões estão próximas de nós. Eu sabia que não ia fazer essa diferença em apenas um dia, assim decidi investir em um projeto maior para fazer uma grande mudança na minha vida“, afirmou Neville.

O ex-jogador defende a questão da sustentabilidade também nos clubes, incentivando a captação da água da chuva e o investimento em energias renováveis, como a solar e a eólica.

Como Implantar Um Sistema de Energia Solar em Casa

Nos últimos tempos, foi crescente o aumento das preocupações a respeito da crise energética, o que levou a um forte investimento por buscas alternativas de obtenção de fontes de energias renováveis. Toda essa movimentação tem levado pessoas a querer utilizar a energia solar em casa. Afinal, a energia que vem através do sol é capaz de apresentar vantagens nas tarefas do dia a dia, unindo consciência ecológica à economia, por parte do usuário.

A instalação de sistema de energia solar propicia a geração de cerca de 70% de toda a energia consumida em um local, o que representa economia – de R$ 200 em média, todo mês – pois será uma geração gratuita de energia.

Instalação das placas solares

Esse tipo de serviço deve ser feito por uma empresa, com profissionais capacitados e experientes, pois poderão prestar, mais tarde, total assistência.

Qualquer habitação pode receber o sistema de energia solar, desde que observados os seguintes detalhes: o encanamento precisa ser duplo, com passagem individualizada para água quente e fria; casas e prédios pequenos poderão receber a instalação com facilidade; contudo, caso o apartamento, individualmente – independentemente do resto dos condôminos –, deseje fazer uso da energia solar, precisará estar localizado na cobertura, ou estar próximo aos andares mais elevados, para uma captação mais ampla da radiação solar. No caso de unidades em andares intermediários, a instalação individual ficará comprometida.

Vantagens da energia solar

  • Ao contrário das redes elétricas tradicionais, aqui pode-se descentralizar o processo, com cada unidade habitacional, sendo responsável pela energia a ser consumida. Sendo assim, as pessoas detêm mais poder sobre o processo;
  • Instalação simplificada, além de dispensar as manutenções frequentes, verificadas em casos como postes de iluminação e transformadores;
  • Os painéis são duráveis, estáveis e são montados por módulos, ocupando áreas de forma discreta. Todo o retorno do investimento inicial é garantido e a economia fica para sempre.
  • Esse tipo de energia é limpo, pois é livre de resíduos; seguro, pois não há possibilidade de acidentes; constantemente renovável e independente.