Sacolas Biodegradáveis e Oxibiodegradáveis – Conheça a Diferença

Nunca produzimos tanto na história como hoje. Os avanços na tecnologia e o consumismo elevam drasticamente os níveis de produção. Nada mais justo com a natureza e com nós mesmos mudar alguns hábitos para desvencilhar os impactos ambientais.

A sustentabilidade é o ponto de partida para a nova engrenagem mundial. Combustíveis alternativos e sacolas plásticas do bem são propostas que devem ser adotadas para que possamos contribuir com o espaço com o qual compartilhamos.

As sacolas biodegradáveis e oxibiodegradáveis são oferecidas pelo mercado como alternativa ecologicamente correta. Porém, tais opções têm o lado bom e ruim para o ambiente. Antes de tudo, é importante saber a diferença entre estes dois tipos.

Conceito de biodegradável

As sacolas biodegradáveis precisam de organismos vivos para decompor o material plástico. Isso acontece devido à matéria-prima da sacola, que é orgânica, como cana-de-açúcar, mandioca, milho e batata. Assim, os resíduos da decomposição não são tóxicos ao meio ambiente e não são acumulados. Este processo finaliza em aproximadamente um ano, dependendo das condições ambientais em que a sacola estiver.

Porém, há a discussão ética no uso de alimentos para fabricar sacolas, levando em consideração da disparidade mundial na distribuição de alimentos, em que muitos passam fome. Para se ter uma ideia, são usados aproximadamente três quilos de açúcar para conseguir fabricar um quilo de plástico biodegradável. Além disso, há o peso do processo de decomposição, pois são liberados chorume e gases de efeito estufa, aumentando assim os índices de aquecimento global.

Conceito de oxibiodegradável

As sacolas oxibiodegradáveis recebem, na sua fabricação, um aditivo para acelerar a degradação. No final, ele não desaparece, e sim se divide em vários pedaços menores. O lado negativo é que o produto final da decomposição é um pó que facilmente pode entrar em contato com rios, lagos e mares. Enfim, há chances de consumir água com plástico misturado. Além disso, as pequenas partículas podem ser consumidas por animais, causando sérios danos a eles.

Nós estamos aqui, convivendo juntos no mesmo ambiente, somos acompanhantes uns dos outros e os destinos de todos nós, estão ligados uns aos outros, de forma que se eu contribuir para a poluição do rio da minha cidade, as pessoas da minha cidade e das outras cidades onde o rio passa irão sentir o efeito da minha ação, assim como eu sinto quando outras pessoas poluem o ar. Precisamos pensar e principalmente agir de forma a recuperar e preservar um ambiente limpo e saudável para as futuras gerações.

Enfim, se queremos consumir de forma consciente, no sentido amplo da palavra, o adequado mesmo é diminuir ou acabar com o consumo de sacolas plásticas, independente da natureza que elas forem. De uma forma ou de outra, qualquer escolha acarretará, em maior ou menor proporção, algum dano ao meio ambiente.

Sobre Este Autor

Postar uma Resposta