Pilates? Para Quê?

Não dá pra negar, vivemos num tempo onde a vaidade tem andado muito valorizada e vem sendo estimulada, além do que estávamos acostumados a ver. Homens e mulheres passaram a frequentar várias academias pelo país buscando, não apenas a saúde, mas a perfeição física (de acordo com seus próprios conceitos de perfeição e beleza). Na verdade, para algumas pessoas, o único objetivo da malhação é esculpir o corpo, sendo que a saúde é uma consequência secundária. E quando ela é prejudicada pelo excesso de exercícios… bem… “ossos do ofício”.

A atividade mais praticada, obviamente, é a musculação, que apresenta resultados bastante visíveis num tempo menor que outras modalidades. E é aí que o pilates acaba ficando pra trás, sendo visto como um tipo de exercício de impacto mais baixo e pouca eficiência para atingir esse tipo de objetivo. Os estúdios de pilates para gestantes costumam ter seu quadro de horários sempre cheios, mas quando se trata do pilates em si, como forma de cuidar da saúde… nem sempre. Por que?

“É muito fraco!”

Todo mundo já ouviu falar de pilates, mas poucos buscaram saber seus detalhes. Devido a essa falta de informação mais completa, é muito comum que as pessoas julguem esta modalidade como “fraca”, de “baixo impacto”, “resultados lentos” e até mesmo “ineficaz”. Dependendo do objetivo destas pessoas, estes pensamentos não estão de todos errados, pois o pilates realmente não trabalha com aqueles pesos enormes das academias. Os aparelhos usados num estúdio dessa modalidade trabalham, principalmente, com o peso da pessoa em exercícios realizados lentamente e de maneira controlada por um fisioterapeuta. São muitos exercícios de alongamento e a maioria deles não objetiva a hipertrofia, ou seja, o aumento do volume muscular (algo que tantos homens e mulheres desejam hoje em dia).

Quanto ao impacto, de fato, no pilates não existe. Os movimentos são mais fluidos, lentos e sem “explosões” ou saltos. Por causa disso, os resultados demoram um pouco mais a aparecer no corpo, dando a impressão de que a modalidade não tem eficiência para esculpir o corpo. Ao menos, não como a musculação consegue fazer. Então, pra que fazer pilates se ele não faz nada?

Ledo engano

Faz sim. Cada pessoa busca o pilates por uma razão. Uma mulher grávida busca um profissional de pilates para gestantes visando fortalecer seu corpo para as diferentes fases da gestação, se preparando para o parto; alguém com problemas ortopédicos o busca para fortalecer articulações e musculatura em movimentos específicos para determinado caso. Esportistas podem procurar pelo pilates para corrigir a postura.

Todavia, é importante frisar que esta modalidade esportiva promove grandes mudanças no organismo. Ainda que não aparente, os movimentos lentos e controlados promovem o fortalecimento muscular de maneira inegável! E músculos mais fortes interferem nas estruturas ao seu redor, fazendo com que elas se alinhem de maneira mais correta no organismo. O resultado, ao longo do tempo, é um contorno corporal mais definido, tanto pelo fortalecimento muscular, quanto pelo realinhamento da postura, que tem um reflexo global na aparência do indivíduo.

“Mas é bom pra marombar?”. É, pra isso, o pilates não foi feito. Os objetivos dos exercícios não é hipertrofia (como já dito antes), nem o emagrecimento. Entretanto, pessoas sedentárias e que estejam acima do peso podem iniciar seu programa de emagrecimento pelo pilates, fortalecendo articulações e musculatura antes de entrar em uma academia. Isso ajuda a prevenir lesões sérias causadas pelo sedentarismo e súbitas mudanças de rotina.

Leia mais sobre o pilates! Você provavelmente vai achar uma boa razão para se matricular.

Sobre Este Autor

Postar uma Resposta