Os Sintomas do Câncer da Vesícula Biliar

O câncer da vesícula biliar é uma doença cujo diagnóstico não é fácil e a prova disso é que, geralmente, o diagnóstico é efetuado durante ou após cirurgia, depois de removida a vesícula e analisados os resultados histológicos obtidos. Trata-se de um tipo de câncer raro e devido ao fato de os sintomas não serem claros e ser feito o diagnóstico tardiamente, quando detetada a doença, o câncer já atingiu outros órgãos tornando o tratamento mais complicado. Os sintomas mais comuns do câncer da vesícula biliar são a dor abdominal no lado direito do abdômen, enjoos e vômitos, icterícia, febre, perda de apetite e perda de peso.

A vesícula biliar é um órgão em forma de pêra situado abaixo do fígado, na parte superior do abdômen. Armazena a bílis, um líquido elaborado pelo fígado que tem como função digerir a gordura. Quando os alimentos se decompõem no estômago e nos intestinos, a vesícula biliar libera bílis através de um tubo que se chama conduto biliar comum, que conecta a vesícula biliar e o fígado à primeira parte do intestino delgado. Os exames de diagnóstico para detecção do câncer da vesícula biliar são a ultra-sonografia, a tomografia, a ressonância magnética, exames de sangue CA 19-9 e CA-125.

A cirurgia é o tratamento mais indicado para esta doença que, num estágio inicial elimina a disseminação do câncer. Contudo, em estágios mais adiantados da doença, e tendo sido afetados outros órgãos, especialmente o fígado, é necessário intervenção de cirurgião do aparelho digestivo. Outros tratamentos possíveis para o câncer da vesícula biliar são a medicação através de Gencitabina, fluorouracil, leuvocorin, tiaprina, capecitabina, oxaliplatina e bevacizumabe, além da radioterapia.

De realçar que a cirurgia não é indicada para todos os casos, já que o cirurgião do aparelho digestivo apenas intervém quando o estágio da doença não implica riscos para o paciente. O câncer da vesícula biliar apresenta uma taxa de mortalidade elevada devido à questão mencionada inicialmente de não apresentar sintomas evidentes e de os sintomas manifestados serem comuns a um sem número de outras patologias. Por esse motivo, cabe ao individuo e ao médico a diferenciação entre sintomas comuns e um sintoma particular que não encaixe em nenhum outro quadro clínico ou cuja probabilidade de se integrar no quadro de um câncer da vesícula biliar seja grande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *