Os Sintomas da Obsessão pela Cirurgia Plástica

Os cirurgiões plásticos não deixam de aumentar à medida que passam os anos, tal como os pacientes que se submetem a cirurgias estéticas de diversos tipos.  A cirurgia plástica ou estética se especializou em diferentes áreas:

  • Cirurgia plástica reparadora: está especializada em reparar, dissimular ou reconstruir os efeitos produzidos no corpo devido a um acidente, uma doença, queimaduras, tumores, etc. Utiliza técnicas como transplante e mobilização de tecidos mediante enxerto ou outras técnicas.
  • Cirurgia plástica estética: diferente da cirurgia reparadora, a cirurgia estética é realizada em pacientes saudáveis  que querem muda rou melhorar algumas partes de seu corpo que não lhes agrada ou lutar contra as conseqüências do tempo no corpo.

A maioria dos pacientes realiza cirurgias plásticas estéticas, ou seja, não realiza uma cirurgia por uma questão de vida ou morte ou por problemas relacionados com a saúde, mas sim para modificar algo em sua aparência com o qual não se sentem cômodos o que gostariam de melhorar. No entanto, os desejos de mudanças têm um limite que muitas vezes se converte em um transtorno.

Sintomas da obsessão

Os pacientes que costumam apresentar este problema em geral já realizaram muitas cirurgias em todo seu corpo, inclusive desde a juventude, e sem a necessidade urgente de modificar sua estética. O dever dos cirurgiões plásticos deve ser o de alertá-los quando a frequência de intervenções supera a quantidade normal que o corpo pode suportar para evitar complicações pós-operatórias.

Quando os motivos pelos quais se solicita uma cirurgia são pouco realistas ou os objetivos do paciente não apresentam sentido, os cirurgiões devem aconselhá-los. Muitos deles pretendem modificar detalhes que só são visíveis a seus olhos e sequer o cirurgião pode modificar.

Uma visão corporal distorcida

Cada pessoa possui uma visão do próprio corpo, que se forma através das imagens e sensações percebidas individualmente. Os pacientes viciados em cirurgias estéticas costumam apresentar sintomas que sugerem algum transtorno da percepção de sua imagem corporar, inclusive acompanhados por doenças como a bulimia, anorexia ou depressão. A satisfação depois e que os cirurgiões plásticos fazem seu trabalho passa rapidamente e estes pacientes vêem uma necessidade urgente de realizar um novo procedimento.

Em casos graves é necessário um tratamento com um psiquiatra e em todas as situações, o acompanhamento do entorno familiar e de amizades respaldados por um profissional médico que entenda os sinais do paciente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *