Muito Além da Tradição!

Os Cristãos chamam de alimento sagrado, os mais céticos falam que é o mais simplório dos produtos já produzidos pela humanidade. Mas a verdade é que o pão de sal é uma quase unanimidade de 10 entre 10 pessoas no mundo. Na religião ele representa o corpo do que os religiosos chamam de corpo de Jesus Cristo. Mas a verdade é que há mais de 2500 anos o pão de sal faz muito sucesso.

Na verdade, se hoje existe alguma pequena contestação, se dão pela falta de tempo das pessoas em adquirir o produto pão, por incrível que pareça, e pela descoberta dos males do sódio. Mas a verdade é que o pão francês, que é invenção totalmente tupiniquim, é um dos produtos mais bem tratados e comercializados no Brasil. Não importa que seja uma padaria eletrônica ou física, o que importa é a preservação do sabor.

Assim sendo consolidada, a entrega de pães em casa é sucesso e tema de muitas matérias. A verdade é que existem poucos produtos tão fadados ao sucesso quanto o pão francês. E esse sucesso impulsiona diversas pessoas a incentivar o uso. O pão francês é, e sempre será, um dos mais valorizados do Brasil. Não é exatamente um pão de origens nacionais, mas está longe de ser um  europeu inveterado. Assim sendo,  tudo que vem pelas mãos de um brasileiro, é sim, um produto novo e que merece todo respeito

O tratamento foi tão bem feito que diversas pessoas preferiram conhecer o o pão francês original e não se preocupar com pormenores da história. Assinar entrega de pão francês pode ser uma sábia decisão e trazer pra sua mesa o verdadeiro pão do brasil, que, apesar de seu nome gringo, traz pra mesa de todos os brasileiros o melhor alimento e mais antigo. Não há como não se influenciar pelo cheiro, textura e diversas outras facilidade das entregas de pão. Mas, a grande verdade, é que apesar de tudo, a venda de pão fresquinho ainda é uma grandiosa etapa a ser correspondida. Flertar com esse mercado pode ser mais que um diferencial, pode ser a salvação de tudo.

Sobre Este Autor

Sou um vascaíno jornalista, ou um jornalista vascaíno. Não. sou um piloto de avião, vascaíno e jornalista.

Postar uma Resposta