Fatores que Tornam os Idosos Vulneráveis a Atropelamentos

Segundo o Ministério da Saúde (2010), 30% das vítimas de atropelamentos no Brasil são idosos. Entre os atropelamentos que causam morte, o número sobe para 36%. A Companhia de Engenharia do Tráfego aponta que são quatro os fatores que contribuem para a ocorrência dos atropelamentos: o fator humano, que depende do comportamento das pessoas; o fator veículo, decorrente das falhas mecânicas; o fator ambiente, como condições climáticas e luminosidade; e o fator via relativo às características geométricas das vias, barreiras arquitetônicas, deficiências dos pavimentos e dos dispositivos de engenharia de tráfego.

Entre outras causas, essa faixa etária apresenta maior vulnerabilidade aos riscos de trânsito pelas alterações fisiológicas que acompanham a idade.

Com o passar dos anos o corpo humano envelhece e órgãos essenciais para a segurança e mobilidade da pessoa já não desempenham funções na mesma perfeição. A audição que deixa as pessoas atentas a buzinas e aos sons de carros, é prejudicada. A visão, para enxergar o movimento das ruas e localizar as faixas de pedestres, também já não é mais tão útil. A mobilidade é mais lenta e os ossos e músculos não aguentam uma caminhada prolongada. As limitações corporais começam a surgir com maior intensidade na terceira idade, mas muitos idosos não aceitam suas limitações, o que pode ocasionar uma saída a rua sem acompanhamento de um familiar ou de um cuidador de idoso, aumentando os riscos.

A mortalidade é mais alta nos acidentes que ocorrem com os idosos por motivos simples: o corpo do idoso é mais frágil e uma simples fratura pode acarretar problemas mais sérios. A osteoporose, por exemplo, aumenta a facilidade das fraturas e deixa a pessoa mais propensa a ferimentos sérios. As complicações de saúde agravam o estado da vítima e a sequela pode chegar a resultar na morte.

Outro fator que torna os pedestres idosos mais vulneráveis a atropelamentos é a desobediência as sinalizações de trânsito, tanto por parte do idoso como do motorista. Os idosos devem sempre atravessar a rua na faixa de pedestres, em qualquer situação. Manter uma linha reta ao cruzar a rua também é importante. Obedecer o sinal verde e vermelho das faixas e não andar próximo das vidas quando estiver na calçada são atitudes que podem evitar acidentes e quedas na rua.

Sobre Este Autor

Postar uma Resposta