Efeitos Colaterais da Whey Protein

Há evidências científicas de efeitos colaterais da proteína de soro de leite? A whey protein é, em termos simples, a proteína presente no soro do leite. Ela é obtida durante a fabricação do queijo e é comercialmente utilizada como suplemento alimentar, especialmente entre os fisiculturistas. A proteína também pode ser utilizada para tratar a desnutrição e outras deficiências imunológicas. Isto porque este suplemento é rico em proteínas, sais minerais e lactose residual. As proteínas são usadas pelo corpo para construir ou reparar células do corpo. É o principal fator no crescimento e desenvolvimento do corpo.

As proteínas são grandes moléculas que podem ser quebradas em peptídeos e, posteriormente, em aminoácidos. Há vinte aminoácidos que são utilizados na formação do corpo. Existem, no entanto apenas alguns deles, que são essenciais. Estes são os únicos que não podem ser fabricados pelo corpo a partir de outros ácidos. Os resultados do metabolismo na hora de processar essa proteína podem também ter efeitos secundários.

Efeitos colaterais da ingestão de whey protein

Os efeitos secundários da proteína do soro do leite foram investigados por vários especialistas nutricionais e bioquímicos. Os mais abrangentes estudos pré-clínicos foram conduzidos em roedores que serviram como cobaias. Estes estudos concentraram-se em identificar os efeitos colaterais resultantes do subproduto dessa proteína no organismo humano. Naturalmente, qualquer molécula de proteína ingerida é utilizada através do ciclo de metabolismo de proteínas, que começa na boca, com a libertação de proteases. Os derivados incluem estruturas de hidrato de carbono, de alguns ácidos gordos e de peptídeos.

Os peptídeos são subdivididos em aminoácidos. Alguns dos aminoácidos podem formar compostos com outros aminoácidos, estruturas de carbono e ácidos gordos geram radicais livres que provocam efeitos colaterais negativos. No entanto, todos os processos de metabolismo que se destinam a libertar energia através da bomba de ATP inevitavelmente libertam radicais livres. A formação de compostos indesejáveis e libertação de radicais livres é o que pode ser considerado de efeito colateral da whey protein.

Antes se pensava que a whey protein inibia as funções do peptídeo glutationa. Esse poderia ser um efeito colateral negativo, que iria inibir as funções da glutationa como um antioxidante. A absorção de radicais livres no meio ambiente da célula seria, portanto, inibida. Os radicais livres podem causar efeitos colaterais “furando” as membranas celulares. Os resultados de estudos pré-clínicos em ratos não revelaram evidências suficientes para fundamentar a afirmação de que a whey protein pode causar efeitos colaterais dessa mesma magnitude em seres humanos.

Em conclusão, não há nenhuma evidência substancial para ligar suplemento a base de whey protein a efeitos secundários negativos. Portanto, a whey protein ainda é considerada um produto seguro para atletas e pessoas com necessidades nutritivas especiais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *