Arquivo da categoria: Psicologia

A Incrível Vida que Temos

As vezes me pergunto: Será que as pessoas mudam pela própria “linha” de pensamento (racionalidade) ou por natureza das situações em que se encontram? Eis a questão… Costumava sentar na praça da capital paranaense por horas observando as pessoas irem e virem. Umas bem trajadas, outras nem tanto assim. Então me bateu a duvida: Seria eu melhor se fosse aquela ou essa pessoa? E…logo, via-me obrigada a sair do conforto do banco em que se encontrava devido a incômodos de terceiros. Mas, foi nessas ocasiões que aprendi muita coisa. Apos vários livros lidos, percebi que não seria e nem serei melhor se fosse outra pessoa. Cada ser é único, ouso a dizer, mas, chega a ser magico a vida e a pessoa que somos.

Todos temos problemas. Não ha quem tem a vida melhor ou pior do que a nossa… Acredite! Descobri isso apos meses de infinitas perguntas e questionamentos. Talvez você que esta lendo esse artigo deve estar pensando: Mas o que sera que essa “menina” esta querendo dizer, onde quer chegar? Quero chegar o mais longe que alguém pode ir… A satisfação de saber que tais palavras como essas “transformem” as pessoas internamente. Mudem-as pela leitura.

Pois bem… Como estava dizendo (em palavras), nós temos uma coisa mais rara de todo o universo: A mente humana. Construímos coisas, projetamos e fazemos prédios, pilotamos qualquer tipo de maquinário pela nossa capacidade motora, aprendemos outros idiomas, armazenamos milhares de informação e de dados, mas… E nós? Isso mesmo… E nós? Como ficamos ao final de um dia corrido, um resultado negativo, uma meta não alcançada, um trabalho não feito, um relacionamento complicado? Sera que somos capazes de “processar” tudo isso de uma forma “correta”?

Temos dentro de nós o paraíso e o “buraco”, a solução e o caos. Tudo habita em nós, a diferença é que tais sintomas estão adormecidos e nós é quem os “acordamos”. Passamos tanto tempo escolhendo a melhor roupa, o melhor celular, o homem mais perfeito e esquecemos que a felicidade esta no intimo do nosso ser. Buscamos esgotadamente a fonte da felicidade e do amor no mundo externo e nos decepcionamos por não encontra-la. Se você esta assim ou ate mesmo não esta, gostaria de convida-lo (a) a parar e refletir… Sim, refletir! Para isso eu (autora deste artigo) mesmo não estando fisicamente ao seu lado, ouso-me a te fazer umas perguntas:

  • Você é feliz? Se respondeu sim, diga me o que é felicidade?
  • Você se considera como um ser único e especial para o universo?
  • É apaixonado (a) por você mesmo (a)?

Se você leitor achou difícil responder estas perguntas, então compreendeu o que quero transmitir em palavras neste artigo.

Deixo aqui uma recomendação pessoal minha: antes de deitar faça uma analise de tudo que te ocorreu durante o dia e, se te “bater” uma tristeza, desanimo, desapontamento ou duvida interior, levante e se observe por 30 segundos em frete ao espelho de sua casa. Apos isso, sorria com vontade pela pessoa maravilhosa que és. Ah! Lembre-se: a vida apesar de difícil, é linda e deslumbrante.

A Importância da Teoria Multifocal no Desenvolvimento Humano

O desenvolvimento humano se dá através de diversas maneiras, porém sempre através de um exercício que propõe a evolução das habilidades mentais de um ser humano; habilidades que o desenvolvem como um ser social muito mais aplicado e consciente de si mesmo, sendo um exemplo de um indivíduo que trabalha a todo instante para melhorar a sua vida e o ambiente ao seu redor.

Uma destas maneiras que tanto ajudam o desenvolvimento humano é a teoria multifocal, algo que tem como finalidade a ampliação da abrangência das habilidades humanas em distintos e relevantes setores da nossa mente. Sintetizando, a teoria multifocal trabalha com a construção dos pensamentos, daquilo que forma a nossa personalidade e define as nossas atitudes em todas as nossas relações no dia-a-dia, as nossas ideias e a origem e o fruto de cada uma.

A inteligência multifocal, o objeto desta teoria, é um importante estudo para a compreensão de um ser humano isolado em si mesmo, como propunha o francês historiador LucienFebvre com seu estudo das mentalidades. O ser humano é analisado a partir da construção de seu pensamento, uma observação do processo de formação daquilo que preenche as mentes. E segundo a teoria multifocal, o pensamento é investigado através de quatro pilares da mente humana: a construção de pensamentos, a energia psíquica, a formação do eu e a sistematização da história consciente e inconsciente presente em nossa memória.

Baseando-se nestes quatro pilares, um estudo coerente e redondo sobre a formação dos pensamentos, das ideias e de como estes são processados em nossa mente é realizado com sucesso. Quatro partes importantes no sistema presente nas nossas mentes são analisadas e a partir delas o ser humano pode encontrar a si mesmo, vendo-se claramente e tendo a oportunidade de evoluir como um ser socialmente aplicado.

E não somente isso, com tais habilidades deflagradas, o indivíduo se torna plenamente apto a desenvolver-se como um ser pensante, algo necessário e tão perto da nossa realidade atual, perfeito e propício para aquele que se dispõe a ser um profissional de sucesso e uma pessoa melhor.

A Atuação dos Pensamentos em Nossa Vida

Os pensamentos, segundo a Logosofia, são os agentes causais do nosso comportamento, e podemos comprovar a sua ação em nossas atitudes e atuações. É uma entidade que se procria e adquire vida própria na mente humana, de onde pode passar, depois, a outras mentes sem a menor dificuldade. De acordo com a sua natureza, pode nos levar a praticar tanto o bem quanto o mal. É comum confundir o pensamento com a mente, com a faculdade de pensar ou com outras funções mentais, mas seria o mesmo que confundir o efeito com a causa que o produz.

O conhecimento dos pensamentos é fundamental para podermos entrar em contato com a nossa realidade interna, e a sua seleção contribui para a nossa superação. Isto exige um esforço inteligente e uma observação constante, porque os pensamentos negativos, muitas vezes, se apresentam com vestimentas de bem, o que dificulta a sua identificação. Eles devem ficar subordinados a nossa vontade e atender ao que lhes determinamos, porque podem nos levar a fazer o que não queremos e impedir-nos de fazer o que nos propomos.

A prática da disciplina mental nos leva ao melhor aproveitamento das atividades, para a economia de energia e de tempo nas diversas ordens da vida. Ao executarmos uma tarefa que exige uma concentração maior, como a de resolver uma situação difícil, por exemplo, devemos realizar uma seleção mental, procurando atrair os pensamentos afins com essa tarefa e afastar os demais que, geralmente, acorrem nessas circunstâncias, porque, ainda que positivos, não contribuiriam para a melhor execução da tarefa em vista, embora possam ser úteis em outras oportunidades,

Um dos principais objetivos da Logosofia é ensinar o ser humano a pensar com a participação da consciência. Para isto, o pensador e humanista González Pecotche instituiu o processo de evolução consciente que proporciona ao homem elementos que lhe permitem desenvolver a  função de pensar e  ao mesmo tempo a conhecer a si mesmo, a organizar os sistemas mental e sensível, a edificar uma nova vida e encaminhá-la para a sua finalidade essencial. Para mais informações, acesse a Logosofia e a Fundação Logosófica.