Arquivo da categoria: Redes

Cabeamento Estruturado: Padrões e Normas que você precisa conhecer

Nas instalações internas ou terceirizadas, existem alguns procedimentos que devem seguir normas técnicas. Uma dessas se trata da implantação do cabeamento estruturado. Que é feito em redes, impressoras, roteadores, telefones e estações onde há servidores e uma porção de cabos e fios.

Essa padronização serve para manter a organização dessas estações de trabalho, assim como aumentar o nível de segurança, melhoramento de recursos e facilitar o gerenciamento da empresa. Toda essa estrutura é feita para melhorar a disposição das redes, permitindo que haja integração de serviços entre transferência de dados e voz, por exemplo.

Toda a estrutura garante o funcionamento e redirecionamento dos sinais mesmo que eles sejam complexos. Principalmente quando a estrutura pode vir a ser modificada posteriormente.

Mesmo que o funcionamento seja parecido com o de uma conexão simples, que se alimenta de eletricidade ou de um equipamento específico, alguns padrões são obrigatórios e devem estar de acordo com essas normas de cabeamento estruturado. Durante a implantação das estruturas os padrões já devem ser seguidos a fim de evitar transtornos futuramente.

As principal padronização do sistema de cabeamento estruturado é regida pela Telecommunications Industry Association (TIA), Eletronic Industries Alliance (EIA). Existem também alguns órgãos que são usados com a funcionalidade de otimização do funcionamento dessas estruturas.

Principais padrões e normas

A norma brasileira NBR 14.565 é a mesma padrão EIA/TIA-568-B. Elas são responsáveis por impor que o cabeamento tenha largura de banda, comprimento, desempenho de acordo com o tipo de tecnologia e com atenuação. A norma ISO também garante que cabos e conectores tenham o mesmo padrão. Ambos passaram a ganhar mais força depois na década de 90.

Com a norma ANSI/BCSI 005-2013 os cuidados são voltados para a segurança eletrônica, com a infraestrutura de todo o cabeamento. As recomendações dessa norma são sobre a prática de instalação, gerenciamento e análise dos riscos, e sua primeira proposta surgiu nos Estados Unidos.

No começo de 2014, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), aprovou a primeira norma sobre as instalações de cabeamento estruturado nos projetos de casas. Enquanto que a NBR 16264 passou a recomendar projetos e instalações das redes residenciais, como base para as referências das empresas dentro do mercado.

O que acabou se tornando uma característica importante para a norma, já que ela passou a poder aplicar várias situações dos próprios usuários, construtoras, empresas e edifícios.

Separamos uma listagem de todas as normas para o sistema de cabeamento estruturado, acompanhe:

  • ANSI
  • TIA
    • Atraso de propagação em componentes: TIA 568A-A1-1998
    • Cabeamento de Fibra ótica: TIA 526-14ª
    • Cabos Patch: TIA 568A-A4-1999
    • Cross: BL, L, BV, A, BA, V, BM, M (T7568B)
    • Cores: BV, V, BV, A, BA, L, BM, M (T568B)
  • EIA
  • ISSO
  • ABNT
  • IEEE

Qual a importância do Cabeamento estruturado?

Em uma empresa todos os cabos de rede devem estar organizados e padronizados de forma sistemática, isso para que a rede funciona de forma eficiente e a conectividade seja melhor, a transferência de dados seja melhor e haja uma certa flexibilidade em casos de mudanças, novas estações de trabalho, etc.

Para compreender melhor qual o papel do cabeamento estruturado e a sua importância, podemos comprar esses sistemas de informática com o corpo humano. Se imaginarmos que os computadores, máquinas, impressoras e estações de trabalhos são os órgãos, para que eles funcionam de forma perfeita e eficiente eles precisam estímulos, de transmissão de energia, dados, etc. Os cabeamentos seriam como se fosse o sangue, estímulos elétricos e nervosos do nosso corpo.

Dentro desse papel, para que o sistema funcione e tudo também deve estar trabalhando de forma perfeita e harmônica. Com o cabeamento estruturado tudo funciona melhor. E o sistema tecnológico de empresas e servidores de telecomunicações também consegue manter o seu padrão de atividade e produtividade.

A Radiocomunicação Digital e os Desastres

A radiocomunicação digital é conhecida pela eficiência em seu processo de transmissão de dados e informações. Além disso, a radiocomunicação digital garante a segurança em todos os seus estágios, além de ser uma plataforma sustentável, algo de grande relevância para os tempos atuais.

Muitos são os benefícios da utilização da radiocomunicação digital, sobretudo, em empresas privadas, sejam elas pelo seu uso interno ou através da terceirização de suas operações, como ocorre muitas vezes em empresas de seguranças. Vale lembrar, que recentementeas empresas públicas tem aderido ao uso da radiocomunicação digital e que tal acontecimento, tem favorecido o andamento dos processos de transmissão de dados em todos os estágios da cadeia de comunicação.

Porém, em alguns segmentos, a utilização da radiocomunicação digital é fundamental há tempos, garantindo assim, o sucesso em seus processos. Todavia, o senso comum nem faz ideia sobre a importância de seu uso. Dentre uma dessas áreas, podemos citar a radiocomunicação digital em desastres.

Se voltarmos há mais ou menos uma década, vamos nos lembrar do triste episódio de 11 de setembro, onde um ataque terrorista, vitimou milhares de pessoas na cidade de Nova Iorque. Pois bem, devido a destruição total nas torres do World Trade Center, a radiocomunicação digital foi fundamental no processo de transmissão de informações no que diz respeito ao resgate de vítimas, garantindo desta forma, a sobrevivência de muitas vidas.

No último verão, nos deparamos com cenas chocantes de fenômenos naturais que assombraram a região do Lagos no Estado do Rio de Janeiro. As fortes e constantes chuvas, desencadearam uma série de desabamentos, causando inúmeras vítimas fatais. Neste triste acontecimento, mais uma vez, o uso da radiocomunicação digital foi primordial para a busca por sobreviventes.

Outro momento bastante marcante a qual o uso da radiocomunicação digital foi fundamental, no resgate dos mineiros soterrados no Chile; resgate este, que durou mais de dois meses. Neste caso, a radiocomunicação digital permitiu o contato dos soterrados com o mundo exterior, ajudando no processo de recuperação mental dos mesmos.

Portanto, é importante percebermos que além dos nichos básicos, também podemos nos deparar com o uso da radiocomunicação digital em outras áreas, como a mencionada acima. Desta forma, enxergamos de maneira mais dimensionada, a eficiência de sua utilização.

Radicomunicação e Turismo de Aventura, Uma Boa Parceria.

Muitos fatores têm colaborado para que o setor do turismo tenha crescido bastante nesses últimos anos, o crescimento do Brasil, a economia brasileira, a copa e as olimpíadas que serão sediadas aqui, o clima, as praias, entre outros.E principalmente o turismo de aventura tem tido um avanço bem interessante.

Um dos fatores que tem contribuído para isso é a maior segurança proporcionada pelas regulamentações de segurança, pelos equipamentos e pela radiocomunicação que hoje em dia é fornecido.

A radiocomunicação, com sua tecnologia e aparelhos cada vez mais modernos, traz para esse tipo de turismo a tranquilidade de proporcionar aos praticantes uma comunicação segura e de bom alcance entre eles e entre eles e o guias ou instrutores.

Uma das dificuldades citadas por alguns instrutores de rafting e trilhas era devido ao pouco alcance dos rádios comunicadores antigos, dificultando a comunicação entre um instrutor e outro, muitas vezes impossibilitando de avisar sobre desvios de rota, falta de segurança em determinados trechos,animais do meio do caminho,para redobrar a atenção em determinado ponto,pedir ajuda, entre outras informações de extrema importância para que o percurso seja finalizado como o esperado. Com as tecnologias digitais modernas essa comunicação a uma distancia maior ocorre e, além disso, com muita qualidade.

Radiocomunicação trazendo diferencial

Para os praticantes esse é um grande diferencial, pois a segurança nesses esportes é um fator crucial, sem ela não é possível realizar o esporte como ele merece. Tanto quanto ter bons equipamentos específicos para cada esporte, ter uma boa comunicação com outros participantes garante que tudo saia como o esperado ou caso incidentes aconteçam, que esses possam ser sanados com uma rapidez muito maior devido ao uso da radiocomunicação.

Aliados para proporcionar um lazer diferenciado e seguro no qual é bastante procurado e muitos atletas hoje em dia gosta de praticar, o turismo e radiocomunicação tem sido uma parceria interessante e lucrativa para ambas as partes. O turismo de aventura tem visto seu número de praticantes crescer a cada ano e a radiocomunicação tem podido com isso investir cada dia mais em estudos de avanço tecnológico para proporcionar cada vez mais tecnologia e aparelhagem moderna, que atenda a essa e outras demandas do mercado.