Todos os posts de JCAn

Julio C é um apaixonado por temas variados, que vão desde a economia à literatura, passando pelo futebol e tecnologias!

Quais os Profissionais que Preciso para Ter Um Jardim de Sonho?

Muita gente que adora jardins questiona-se como irá fazer aquele jardim de sonho. Como todos os sonhos, em todas as áreas, estes variam de pessoa para pessoa: algumas querem jardim com relva e piscina, outros com um lago ornamental, e outros querem um espaço simples, com algumas árvores e plantas, por exemplo.

As preferências são várias, e a maior parte delas, devidamente enquadradas na paisagem, podem fazer sentido do ponto de vista da arquitetura paisagista. No entanto, um jardim de sonho pode implicar a necessidade de diversos profissionais no ramo, com diferentes qualidades. Mas quais podem ser alguns destes profissionais? Conheça neste artigo.

O arquiteto paisagista

O arquiteto paisagista irá ter um papel preponderante na execução do jardim. Isto porque a tarefa de planeamento do jardim passará por este profissional. Será este que irá falar consigo para ver quais as suas necessidades, o que pretende do seu jardim, e qual o seu orçamento.

O arquiteto paisagista irá também ao local recolher informação, e será o responsável pelo projeto e verificação da execução adequada da obra. Ao contratar um arquiteto paisagista poderá encontrar todas estas valências num profissional.

Jardineiro

O jardineiro é o especialista no cuidado do jardim. Este profissional irá plantar, podar, e cuidar das árvores regularmente, seguindo as indicações do arquiteto paisagista. O jardineiro tem um papel preponderante na execução e manutenção do jardim.

Jardineiros experientes conhecem muito bem as especificidades de cada uma das plantas presentes no jardim, e como cuidar destas apropriadamente. Alguns trabalham em equipas multidisciplinares com arquitetos paisagistas, de modo a garantir que o seu jardim tem a máxima qualidade.

Técnico de análises

Muitas vezes, para cuidar do seu jardim, é necessário efetuar análises ao solo e às águas. Estas são efetuadas em laboratórios por analistas especializados.

Técnico de construção civil

Nos casos em que for necessário o desenvolvimento de alguma estrutura inerente ao projeto, poderá ser necessário o apoio de um técnico da área de construção civil.

Apesar destas profissões acima referidas serem as mais utilizadas numa equipa multidisciplinar especializada em jardins, existem diversos outros profissionais que podem ser precisos, dependendo da complexidade e requisitos da obra, e dos objetivos específicos do cliente, para o seu jardim. Mas a verdade é que ter uma equipa especializada na área é extremamente importante, garantindo os melhores resultados para o seu jardim.

5 Dicas para Cuidar do Seu Jardim

Quem não gosta de ver um jardim maravilhoso? Um jardim é uma das áreas da casa mais especiais, que nos consegue fazer mais felizes. O jardim é, também, um ecossistema vivo, do qual diversos seres fazem parte.

No entanto, os jardins têm de ser cuidados. Num mundo ideal, todos os jardins seriam planejados por uma empresa de arquitetura paisagista especializada em jardim e paisagem.

Mas, se ainda não pode contratar uma destas empresas, existem, por enquanto, algumas dicas que podem ajudá-la a cuidar melhor do seu jardim.

Veja quais as plantas mais adequadas

Dependendo do jardim que tem ou pretende, algumas plantas podem ser mais adequadas que as outras. Procure saber quais são: assim irá poupar trabalho e ter um jardim mais equilibrado.

A escolha vai depender de diversos fatores, como o espaço, se é ou não um jardim ao ar livre, quais as plantas próprias da região, etc. No final, a escolha irá determinar a qualidade do jardim.

Preste atenção às datas das podas

Muitas vezes os elementos que constituem um jardim têm de ser devidamente podados em determinadas datas. E, muitas vezes, o que acontece é que as pessoas deixam passar as datas próprias para o fazer. No caso das árvores, isto pode afetar o seu crescimento e impedi-las de dar os frutos, que tanto adora.

Plante na altura certa

Existem alturas próprias para plantar, e isso irá determinar o sucesso do seu jardim. Se plantar fora do tempo, provavelmente irá apenas gastar uma semente. E nem todas as plantas devem ser plantadas na mesma altura. Isso requer uma certa pesquisa da sua parte, dependendo da planta e do local do mundo onde se encontra.

Saiba as características das plantas

Todos os pontos acima referidos envolvem, de certa forma, conhecer o ciclo de vida natural das plantas. Ter um jardim é uma ciência: os amantes dedicam horas de estudo para conhecer melhor como cuidar das suas flores e árvores.

Hoje a informação relativamente aos jardins pode ser acedida em qualquer local, como livros, sites da especialidade, blogs pessoais, etc. É tudo uma questão de força de vontade para procurar a informação.

Ter um jardim é algo maravilhoso, independentemente do seu tamanho. E cuidá-los é uma arte. Estas são apenas algumas das dicas que pode seguir para o fazer, mas existem muitas outras coisas que pode efectuar. E recomenda-se que, se tiver possibilidade, aposte num planeamento profissional, que vale a pena.

Porque apostar em arquitetura paisagista?

Uma casa é um local especial, por isso tem tanta gente poupando uma vida inteira para conseguir comprar uma casa. Para além de ser um lugar de pertença é o local onde passamos grande parte do tempo daí a importância da arquitetura paisagista.

Muitas das casas, no entanto, não têm o seu espaço devidamente aproveitado, especialmente no que diz respeito à parte exterior. Muitas vezes por falta de conhecimento ou por se achar que aquela zona, em particular, não é assim tão importante. Mas através da arquitetura paisagista é possível transformar esses espaços em algo fantástico. Neste artigo enumeramos algumas razões porque deve ter um projeto de arquitetura paisagista.

Melhora o aspeto

Um projecto de arquitetura paisagista vai melhorar o aspeto da sua casa. A conjugação de cores, formas e diferentes texturas vai fazer com que este local se torne um espaço ainda mais radiante. E isto, mais do que ser belo para os visitantes, é belo para você que habita no mesmo

 

Aproveita espaços “abandonados”

Mesmo espaços pequenos por vezes podem ser bastante interessantes. Ao requalificar esses espaços, transformando-os, está a dar uma nova vida e utilidade a áreas da casa.

 

Equilibra os elementos

Muitas vezes quando tentamos cuida do nosso espaço até conseguimos colocar coisas engraçadas nos mesmos. Mas por vezes falta um pequeno toque que una os diferentes elementos, filtrando aqueles que não fazem sentido, de forma a que todo o espaço fique equilibrado!

 

Valoriza o seu imóvel

Ter espaços cuidados é uma excelente forma de valorizar o seu imóvel. Um dos primeiros locais que um comprador vê são os espaços exteriores da sua casa. O fato de existir uma aposta em paisagismo faz com que esteja tudo harmonizado, o que pode ser um factor decisivo no valor percebido pelo comprador.

 

Torna-o mais atrativo

Quando falamos de espaços comerciais faz sentido. Isto faz com que aumente as probabilidades de efectuar negócio, o que acaba por ser um investimento que faz todo o sentido.

 

Eleva a sua autoestima

Estar num local onde se sente bem não tem preço. O local onde vivemos diz muito sobre quem somos e a forma como nos sentimos, tendo uma influência direta neste ponto. Olhar para a beleza de um jardim cuidado revigoriza qualquer um!

 

Neste artigo percebemos porque é relevante apostar em paisagismo ou arquitetura paisagista na sua casa. Assim, vemos que através da arquitetura paisagista é possível otimizar os espaços da sua casa, tornando-a mais especial e valiosa!

 

Pescado a Um Preço Atrativo – É Possível?

O consumo de peixe é importante para uma dieta variada e equilibrada. No entanto, em alguns locais, o acesso ao consumo do pescado é, muitas vezes, bastante limitado por um fator: preço elevado.

Neste artigo exploramos os fatores que tem vindo a reduzir o preço do pescado no consumidor final, tornando-o mais acessível a diversas pessoas e permitindo que o seu consumo a nível mundial aumente.

Transporte do pescado

A existência de barcos mais eficazes na recolha do pescado (quando em alto-mar) e um sistema de transporte internacional constituído por grandes embarcações, aviões, camiões e carrinhas cada vez melhores permite reduzir o tempo e os custos de transporte.

O transporte também depende da qualidade das infraestruturas – estradas, portos, aeroportos, cuja existência e modernização depende de políticas do próprio país. Estas variáveis vão ter um importante papel na forma e no preço com que o peixe e marisco chega à mesa dos consumidores.

Sistemas de conservação

Existem várias formas de conservação do pescado que são atualmente utilizadas, prolongando o tempo que pode ficar em stock sem se estragar. Peixes e mariscos congelados, em sal, através de métodos químicos, todas estas são formas de preservar estes alimentos por mais tempo.

Aumentar o tempo durante o qual podem ser armazenados, permite uma melhor gestão de stocks que, por sua vez, faz com que os preços sejam mais baixos no comércio a nível intermédio e, consequentemente, no consumidor final.

Técnicas de produção

A forma como o peixe é produzido e recolhido também pode baixar os seus custos. Peixes criados pelo ser humano em ambiente controlado, utilizando aquicultura, faz com que o custo seja mais reduzido.

Ao produzir pescado desta forma, a produção aumenta, existindo menos custos com a recolha e transporte, sendo o peixe mais barato quando chega ao mercado. A importância da aquacultura reside aqui, uma vez que também permite, por vezes, a produção em áreas que não tinham tipicamente peixe fresco.

Distribuição

Quantas mais pessoas consumirem um produto num determinado vendedor (ou cooperativa) mais baixo será o valor unitário. A existência de escala na distribuição, devido ao aumento do consumo numa determinada região, pode fazer com que o peixe seja vendido a um preço inferior.

Seja na produção, transporte, conservação ou distribuição são diversas as etapas onde têm vindo a ser reduzidos os custos totais do produto, e ter um impacto no preço final do consumidor.

Portanto a resposta à nossa pergunta é “sim, existem formas de baixar o valor do pescado”, sendo que este pode ser ainda inferior, de acordo com novos avanços nestas áreas de atuação.

4 Tipos de Pescado Criados em Aquicultura

Já pensou na quantidade de pessoas que, diariamente, comem pescado por todo o mundo? O consumo tem vindo a aumentar nos últimos anos de uma forma muito rápida. A aquacultura, criação de pescado, tem vindo a oferecer uma alternativa à pesca tradicional, respondendo a essa procura. Neste artigo vamos explicar quais são as variedades de pescado mais frequentemente criadas em aquicultura.

Seleção das espécies para aquicultura

O que faz um tipo de pescado ser produzido em aquicultura? Em primeiro lugar se  é do agrado das pessoas, uma vez que irá ser consumido, e em seguida a capacidade de adaptação e rendimento da produção: a forma como se alimentam, a facilidade com que se reproduzem e a capacidade de adaptação ao ambiente.

Tilápia

Conhecida em Angola como Cacusso, esta espécie de peixes é originária do Continente Africano. Peixe de água-doce, facilmente se adapta a novos ambientes, e se reproduz.

É uma das espécies na aquacultura que mais tem vindo a ser criada, opção que é fácil de entender, uma vez que a tilápia possui uma carne tenra e saborosa. Entre os produtores encontram-se a China e outros países Asiáticos, bem como os Estados Unidos.

Salmão

O Salmão, peixe bastante apreciado na gastronomia mundial, que vem das águas frias do Norte, é também bastante criado em aquacultura, permitindo responder a uma procura global pelo peixe e garantindo a sustentabilidade desta espécie em ambiente natural.

Existem diversos locais onde o Salmão é produzido, fundamentalmente no norte da América e norte da Europa, o que permite ao consumidor um maior acesso a este peixe e permite torna-lo um bom investimento para quem investe em aquacultura nesses locais.

Carpa

Bastante apreciado na Ásia, este peixe ocupa uma posição de destaque no que diz respeito à produção por aquacultura. O motivo é a grande produção por parte da China, o maior produtor de pescado a nível mundial.

Peixe-Gato

Quem não conhece o famoso peixe Gato? Este peixe é, também, bastante produzido em aquicultura, uma vez que tem nos Estados Unidos da América um dos seus grandes produtores.

Os exemplares acima referidos são dos mais produzidos a nível mundial. A sua produção em aquicultura é, sem dúvida, uma vantagem para quem os produz e para quem os consome. A qualidade do peixe produzido em aquacultura vai essencialmente depender das condições em que estes são criados e da forma como são alimentados, que deve garantir a segurança e qualidade do alimento.