Todos os posts de Carolina Fabri

Melhore o Ambiente do Seu Apartamento com Plantas

Além de proporcionar um clima mais fresco e agradável, as plantas deixam as casas e os apartamentos mais elegantes e cheios de vida. Para cultivar plantas dentro de casa, é preciso saber posicioná-las nos locais ideais e escolher aquelas que são próprias para ambientes fechados. Uma dificuldade que alguns podem encontrar é a questão do espaço, principalmente para as pessoas que moram em apartamentos, porém, ainda assim, existe a possibilidade de acrescentar um pouco de verde.

Conheça agora algumas dicas e informações importantes sobre o cultivo de plantas dentro do seu lar.

Onde colocá-la

Decidir onde a planta ficará é o primeiro passo a dar para iniciar o cultivo, até mesmo antes de escolher a espécie. As plantas mais indicadas para ambientes internos são aquelas que não necessitam receber luz diretamente, pelo menos não por tanto tempo quanto outras. Contudo, independente de precisar receber luz direta por mais ou menos tempo, é importante deixar a planta em locais arejados, como próxima à área de serviço, de janelas, ou da sacada.

Planta na sala de estar

As espécies mais indicadas para as salas de estar são a zamioculca, marantas, orquídeas, algumas bromélias e pequenas palmeiras. É importante sempre estar atento aos níveis de água e na aparência das folhas, principalmente para as pessoas que passam a maior parte do dia fora de casa.

Uma espécie muito indicada para salas e até mesmo consultórios, é a chamada pata de elefante. Além de se tornar um item decorativo muito bacana, esta planta só precisa de água a cada dez dias.

Plantas na sacada

Para os apartamentos que possuem sacadas, é muito importante definir o estilo de paisagismo que quer seguir, se é o rústico, ou seja, baseado no cultivo de espécies frutíferas, sem muitas flores, ou então um estilo clássico, com plantas podadas. É essencial que, ao colocar uma planta na sacada, algumas precauções devem ser tomadas, como conhecer a posição do sol, por exemplo.

Uma horta em casa

Já pensou em comer um prato fresquinho, feito no capricho e ainda utilizando temperos colhidos direto da sua horta particular? Ou então tomar um chá de ervas, colhidas na hora, na sacada do seu apartamento? Isso é possível!

Hoje em dia, existem pessoas que optaram por cultivar plantas no lar, mas não qualquer espécie, e sim algumas específicas voltadas para culinária. É o caso do alecrim, da hortelã, cebolinha e alguns tipos de pimentas.

Espionagem na Internet – Legal ou ilegal?

Atualmente a Internet se tornou uma das principais ferramentas de trabalho da grande maioria das profissões. Podemos considerar praticamente impossível trabalhar num escritório ou agência que não utilize a Internet, ou, pelo menos, a Intranet, que nada mais é do que uma Internet fechada, com acesso apenas aos sites e recursos da própria empresa, mais comumente utilizada em bancos.

Apesar de vivermos conectados, inclusive no trabalho e faculdade, é importante termos a consciência de que devemos utilizar a Internet adequadamente, principalmente no ambiente de trabalho, para não perder o rendimento e baixar a produtividade. Pensando nisso, muitas empresas passaram a fazer uso de um programa espião para monitorar o acesso dos funcionários.

O impacto da Internet no trabalho

Estudos indicam que a maioria das pessoas que possuem acesso à rede mundial de computadores na empresa perde muito tempo em chats e redes sociais, se abstraindo facilmente do trabalho, afetando muitas vezes a qualidade do serviço e, consequentemente, prejudicando a empresa.

O que muitas pessoas não sabem é que passar muito tempo na Internet e se distrair demasiadamente com isso pode acarretar em uma demissão por justa causa. Esta prática pode ser caracterizada como desídia, expressa no artigo 482, alínea “e” da Consolidação das Leis Trabalhistas, que significa que o funcionário não está trabalhando.

O empregador pode monitorar a Internet?

Esta é uma das perguntas mais frequentes dentro dos ambientes empresariais. É considerado legal ou ilegal usar um programa para monitorar PC, incluindo o uso da Internet e o e-mail corporativo dos colaboradores?

Desde que o empregador não fira o princípio constitucional de privacidade e intimidade, expresso no artigo 5º, inciso X da Constituição Federal Brasileira, ele está permitido sim a monitorar o uso da rede na empresa.

Não só pode como deve

Quando a empresa fornece o acesso à Internet para os colaboradores, o intuito é otimizar o serviço, permitir pesquisas que auxiliem no desempenho dos funcionários, portanto, ela deve ser usada exclusivamente para o trabalho. Em resumo, a Justiça compreende que as empresas, ao monitorarem o uso da Internet, não estão violando a norma constitucional, visto que o funcionário está utilizando ferramentas de trabalho concedidas pela empresa empregadora.

Algumas corporações utilizam também um programa para bloquear sites, pois, caso o funcionário acesse sites impróprios durante o horário de trabalho, significa que ele tenha acesso a eles, portanto, a responsabilidade recai sobre o empresário e não sobre o colaborador.

Conclusão

Não existe ilegalidade alguma em utilizar um software espião para monitorar a empresa. É, aliás, muito importante que esta prática seja implantada na corporação, visto que auxiliará na administração e diminuirá os prejuízos.

Fondue – A História Desta Iguaria

Você sabia que o correto é pronunciar A Fondue? Isto mesmo, no feminino. A palavra “fondue” surgiu na Suíça Francesa e, traduzindo o termo para o português, significa queijo fundido ou queijo derretido. O prato é muito consumido ultimamente, principalmente em locais onde faz frio e na época do inverno, mas, como será que surgiu esta iguaria que é a fondue?

O surgimento da fondue

A história do surgimento deste prato tão apreciado possui duas teorias, sendo que uma é bastante diferente da outra.

Primeira teoria

A primeira teoria é de que a fondue foi inventada como o resultado de um excesso na produção de queijo, na Suíça Francesa. Em meados do século XII, com a chegada do frio, o queijo armazenado congelara até que alguém teve uma grande ideia: descongelar e derreter os queijos usando kirsch, uma cachaça artesanal de cereja produzida na região. Surgiu então a saborosa fondue de queijo.

Segunda teoria

Esta versão envolve muito mais a emoção e a imaginação do que a primeira. De acordo com esta teoria, a fondue surgiu durante a Segunda Guerra Mundial, pelos camponeses que viviam nas regiões montanhosas. Devido não terem como buscar alimentos nos centros das cidades, por conta das batalhas e do rigoroso inverno, para não morrer de fome, eles passaram a derreter os queijos que eles mesmos produziam e mergulhavam o pão, que também era feito por eles, no caldo resultante deste derretimento.

Um prato saboroso

Independente de qual teoria é realmente a verdadeira, é fato que este prato acabou ganhando o mundo inteiro e, atualmente, existem fondues de vários tipos diferentes, como a fondue de chocolate, onde são mergulhadas frutas, biscoitos e marshmallow.

Normalmente, quando as pessoas vão a um restaurante de fondue, como o Hannover, por exemplo, elas consomem primeiramente a salgada, que pode ser de queijo ou carne e depois a fondue de chocolate, como uma sobremesa. Existem ainda fondues que variam os sabores dos molhos, acrescentando alguns ingredientes, como o vinho branco, ketchup e alguns temperos.

Ir a um restaurante de fondue é uma verdadeira maravilha gastronômica, além de ser romântico e divertido. Pode ser considerado o prato ideal para um jantar especial, a dois ou até mesmo com toda a família, numa ocasião diferente.

E Se São Paulo Fosse Uma Marca?

E se as cidades fossem marcas, quanto será que elas valeriam? Uma grande empresa de gestão de marcas realizou este cálculo com as cidades do Brasil e quem lidera o ranking é São Paulo.

A cidade de São Paulo atingiu um valor estimado em R$ 233,5 bilhões, devido a sua variedade de opções de lazer e também à ampla oferta de imóveis, ela aparece no topo da lista das cidades-marcas, de acordo com a pesquisa realizada por uma empresa especialista em gestão de marcas.

A pesquisa

Gilson Nunes, sócio-diretor da empresa que realizou o estudo, afirma que a pesquisa levou em consideração, principalmente, indicadores que definem o índice de força das marcas das metrópoles. São analisados dados como a reputação da cidade, a admiração que ela recebe tanto de turistas quanto dos seus habitantes, sua gestão, a comunicação presente nela, sua governança, a segurança, limpeza urbana, condições de transporte, a preocupação socioambiental, entre outros fatores.

São Paulo, a primeira do ranking

A cidade de São Paulo foi eleita a primeira do ranking por ser vista como o melhor lugar para fazer negócios e trabalhar, além de oferecer oportunidades de emprego, também possibilita uma acomodação digna em imóveis próximos aos locais de trabalho, na grande maioria apartamentos. Porém, tratando-se do tema transporte, a capital paulista sofre grande queda.

O Rio de Janeiro ocupa a segunda colocação. A cidade é reconhecida em alto grau por suas características e forte vocação para o turismo, contudo, quando falamos em segurança e saúde, a imagem da cidade não é tão boa.

Os megaeventos no Brasil

Com a vinda dos megaeventos para o Brasil ao longo dos próximos anos, como a Copa do Mundo da FIFA em 2014 e as Olimpíadas de 2016, os valores destas marcas-cidades, certamente, serão alterados. Podemos observar esta mudança na cidade de Londres, por exemplo, que, para as Olimpíadas de 2012, sofreu um investimento equivalente a R$ 9,4 bilhões pelo Comitê Olímpico Internacional.

O ranking

Confira abaixo a lista das 10 marcas-cidades mais valiosas, seguidas de seus valores:

  • São Paulo – R$ 233 bilhões;
  • Rio de Janeiro – R$ 88,2 bilhões;
  • Brasília – R$ 70,1 bilhões;
  • Curitiba – R$ 26 milhões;
  • Belo Horizonte – R$ 24,6 bilhões;
  • Manaus – R$ 20,9 bilhões;
  • Porto Alegre – R$ 20,8 bilhões;
  • Campinas – R$ 16,6 bilhões;
  • Fortaleza – R$ 16,5 bilhões;
  • Salvador – R$ 15,6 bilhões.

Concursos Públicos – Dicas para Ter Sucesso

Atualmente, passar em um concurso público é o sonho de muitas pessoas. Constantemente ouvimos falar sobre novos processos seletivos em diversos locais e vemos pessoas estudando através de apostilas para concursos, para passar nas provas. Mas, será que todo esforço é realmente necessário?

Sim! Um concurso público é muito concorrido, devido aos benefícios que o cargo almejado proporciona após a aprovação. Dentre as vantagens que o cargo público oferece, a estabilidade no emprego é a mais visada de todas. Afinal, quem não quer trabalhar com a certeza de que não será demitido, não é mesmo?

Para alcançar este objetivo é preciso mais do que estudar muito através das apostilas para concursos. Confira algumas dicas para ter sucesso nos concursos:

Não dependa dos editais

Não aguarde a divulgação dos editais dos concursos para começar a estudar para eles. Estude com antecedência e se dedique a isso. Caso precise de um incentivo maior, deixe em frente à mesa de estudos uma lista com as vantagens que você terá quando for aprovado, como o salário, as férias, benefícios, etc. Porém, assim que o edital for publicado, leia-o atentamente!

Informe-se mais

Manter-se atualizado é a melhor estratégia para ter sucesso. Para isso, leia diariamente aos jornais, assista às notícias do dia, leia diversas revistas, fique atento às redes sociais, que são ótimas disseminadoras de informações, mas não perca o foco: estude!

Invista em apostilas

Algumas pessoas se matriculam em cursinhos. Eles dão resultado sim, porém, é possível obter o mesmo sucesso investindo em apostilas para concursos. Elas já são produzidas com conteúdos específicos para preparar os interessados para o processo seletivo. Procure por apostilas atualizadas e com bom conteúdo. Outra boa opção são as vídeo aulas, por serem mais didáticas e bem explicadas.

Lembre-se de descansar também

Não adianta estudar o dia inteiro se não consegue absorver as informações. Nosso cérebro precisa de descanso também. Monte um cronograma de estudos e siga-o! Estude por determinadas horas do dia, mas não esqueça o lazer. Uma boa dica é assistir a filmes e ler livros, pois, apesar de ser uma forma de espairecer, você adquire mais bagagem cultural para escrever melhor e sobre assuntos variados.

A Fondue de Carne e Seus Molhos

Dificilmente alguém consegue resistir à uma boa fondue de carne, principalmente numa noite fria, num jantar de reunião com os amigos, ou até mesmo um programa para fazer a dois. A fondue está entre as iguarias mais procuradas quando as pessoas pensam em fazer passeios diferentes, para sair um pouco da rotina.

Fondue de carne

O tipo mais comum de fondue que pode ser encontrado nos restaurantes é a de queijo, porém, a fondue de carne vem ganhando cada vez mais espaço no mercado gastronômico. Atualmente podemos consumir a fondue com diversas carnes diferente, carne bovina, suína, frango, linguiça, etc. Contudo, uma forte tendência, principalmente focada para o verão, é a fondue de peixes e frutos do mar, como o camarão, por exemplo.

Outra variedade da fondue de carne é a fondue de carne na pedra, que nada mais é do que uma pedra chapada, apoiada sobre uma estrutura, aquecida por uma chama, onde, ao invés de afundar a carne no óleo quente, como é feito na fondue de carne normal, você grelha os pedaços de carne.

Independente da variedade de fondue, seja a normal, a de frutos do mar, ou até mesmo a grelhada na pedra, é fato que se existir uma boa variedade de molhos para combinar, o prato acaba ganhando mais sabor.

Molhos para fondue

Assim como tudo na vida, a escolha dos molhos para acompanhar a fondue salgada depende muito do gosto e do paladar das pessoas. Independente disso, existem os molhos que sofrem mais procuras nos restaurantes, como o molho de mostarda e mel, molho aioli, molho russo, molho rosê, molho de maracujá, molho tártaro, entre outros.

Uma iguaria para ser degustada com calma

Algumas pessoas se arriscam a fazer a fondue de carne e os molhos de acompanhamento em casa, porém, nem sempre tudo sai como o esperado. A fondue de carne é uma iguaria para ser apreciada e degustada com calma, para aproveitar ao máximo todo seu tempero e sabor diferenciado.

Para isso, o ideal é consumir este prato num restaurante especializado, que, além de não dar nenhum trabalho, ainda proporciona um momento diferente, com ambiente aconchegante e etc. Um bom exemplo é o Restaurante Hannover, conhecida como a melhor fondue de São Paulo.

Apartamento Novo – 12 Passos para Planejar Sua Mudança

A compra de um imóvel é uma conquista, uma nova fase em nossas vidas. Seja por motivos de alteração de local de trabalho, casamento, ou nascimento de um novo membro na família, mudar-se para um novo apartamento é muito bom, nos faz ter a sensação de recomeço. Porém, como tudo na vida, existe uma parte mais importuna, que é a hora de planejar a mudança e empacotar seus pertences para serem transportados, realizar a reciclagem, mandar embora o que não tem mais serventia para depois fazer o trabalho inverso. Esta é uma parte que ninguém gosta, mas que pode se tornar muito mais prática. Conheça agora 12 passos para planejar sua mudança para o novo imóvel:

1º passo: organizar tudo com antecedência

Assim que você definir a data da mudança, reserve pelo menos uma semana para empacotar os itens de cada cômodo, pois, assim, você pode realizar esta tarefa com mais calma e atenção. Por exemplo, se seu imóvel atual possui 5 cômodos, serão necessárias 5 semanas para deixar tudo em caixas.

2º passo: pesquise sobre o transporte

Para que você não “fique na mão” quanto ao transporte dos seus objetos, pesquise as datas disponíveis nas empresas transportadoras com bastante antecedência. Para encontrar a empresa ideal, busque a indicação de amigos e familiares que já utilizaram este serviço.

Observações importantes

Antes de fechar o contrato do transporte, certifique-se sobre a quantidade de caixas e volume máximo que veículo que irá realizar o serviço pode transportar e também verifique se o contrato inclui seguro dos objetos transportados.

3º passo: crie listas

Antes de começar a empacotar todos os seus pertences, monte listas com o que você quer que fique em cada ambiente do novo apartamento. Faça um levantamento se os cômodos terão espaço suficiente para abrigar tudo que você deseja colocar neles. Liste também os objetos que você considera sem utilidade ou que não deseja empregar no novo lar e separe o que será doado e o que pretende vender.

4º passo: providencie o material necessário

Algumas empresas de transporte já oferecem caixas de papelão, rolos de plástico bolha e outros materiais para auxiliar no embrulho dos seus pertences, mas, caso este serviço não esteja incluso no seu caso, é preciso providenciar estes itens, muitas caixas, plástico bolha para não ter danos, fita adesiva e etiquetas. É importante identificar os pacotes, principalmente aqueles com conteúdo frágil.

5º passo: caixas menores são melhores

Para facilitar o transporte e também para não ficarem muito pesadas, é mais indicado utilizar várias caixas menores do que poucas grandes. Não desmonte os móveis que possam caber no veículo de transporte, uma boa dica é questionar a empresa sobre o tamanho do caminhão, para que você possa saber os móveis que caberão e os que deverão ser desmontados.

6º passo: comece a empacotar os itens menos usados

Como o processo de empacotamento deve ser feito antecipadamente e com paciência, comece pelos objetos que você usa com menos frequência. Para facilitar a identificação das caixas, além de etiqueta-las, agrupe objetos da mesma família, por exemplo, uma caixa só com pratos, talheres e copos, ou então apenas com panelas, etc.

7º passo: embale objetos frágeis separadamente

Para melhor proteger seus objetos frágeis, como porcelanas, cristais e espelhos, por exemplo, o ideal é que eles sejam embalados separadamente, um a um, para não quebrá-los e não acabar arranhando outros objetos.

8º passo: transfira seus serviços para o novo lar

Na semana anterior a sua mudança para o novo apartamento, providencie a transferência dos serviços, como assinaturas de jornais e revistas, linha telefônica, TV por assinatura, endereço de envio de correspondências, etc.

9º passo: carregue itens de valor com você

Por questões de segurança, é importante que você mantenha suas joias e itens de valor com você no dia da mudança. Caso possua obras de arte ou antiguidades valiosas, é aconselhado tirar fotografias para documenta-las, até mesmo para registrar o estado em que elas se encontram. Em todo caso, existem empresas especializadas no transporte de peças valiosas.

10º passo: separar alguns itens para eventuais necessidades

Quando estiver arrumando os objetos dos quartos nas caixas, separe uma mala de mão com duas trocas de roupa, um jogo de roupa de cama e de banho para cada membro da casa. Não esqueça também de itens de higiene pessoal para cada um, alguns alimentos e água. Isso fará bastante diferença enquanto vocês estiverem arrumando o novo lar, pois estes elementos podem fazer muita falta no decorrer do processo de desempacotar e organizar as coisas, principalmente a água.

11º passo: esvaziar a geladeira

Na semana que antecede a mudança, tente não comprar muitos alimentos e procure ir esvaziando a geladeira aos poucos, sem repor o que for acabando. É importante também se certificar de que as tomadas e torneiras do novo imóvel estão em perfeito funcionamento, para que você possa realizar atividades como tomar banho e lavar louças já no seu primeiro dia de casa nova.

12º passo: organização na hora de desempacotar

Quando tudo já tiver sido transportado para o novo apartamento, distribua as caixas conforme a divisão dos cômodos realizada antes, de acordo com a informação de cada etiqueta. Escolha um ambiente para começar a desembrulhar as coisas e não inicie a arrumação de outro cômodo antes de terminar a do anterior.

Casa Subterrânea Sustentável

Um ex-jogador de futebol, o inglês Gary Neville, considerado uma lenda do Manchester United, construiu uma casa subterrânea em meio à natureza, totalmente projetada para aproveitar os recursos renováveis através da geração de energia solar e eólica.

A responsabilidade ambiental e a escolha do jogador em morar em um imóvel sustentável gerou certa polêmica. De acordo com o próprio Neville, alguns dos antigos companheiros de profissão não entendem a opção do jogador. Talvez seja necessário explicar melhor o conceito, individualmente. “A verdade é que as pessoas estão começando a entender. Em uma atmosfera de grupo, acaba virando brincadeira, mas aos poucos, eles entendem”, comentou o jogador ao jornal inglês The Telegraph.

O projeto da casa subterrânea

Foi necessário aguardar 18 meses para ele conseguir a permissão para construir o imóvel “zero carbono” no subsolo. O projeto do lar sustentável foi desenvolvido em forma de pétalas, possui 750 metros quadrados e apenas um andar, que abriga ao todo seis ambientes denominados: relaxar, trabalhar, comer, brincar, entreter e dormir.

Assim como outros imóveis que utilizam recursos renováveis, a casa de Gary Neville é equipada com uma turbina eólica e painéis solares para gerar a energia, além de um sistema de recuperação da água da chuva.

A responsável pelo projeto da casa foi a empresa Make Architects que leva em consideração o emprego de materiais de construção que podem ser encontrados localmente. A inspiração para a construção da casa veio de Skara Brae, uma povoação do período neolítico, localizada na Escócia e considerada por muitas pessoas como um dos monumentos mais notáveis da Europa.

Fazer a diferença

Para o jogador, a opção de levar uma vida com menos impactos ao meio ambiente representa uma evolução pessoal. Ele ainda acredita que muitas outras mudanças precisam ocorrer para mudar realidade do mundo atual.

“Percebi que eu tinha que mudar e fazer a diferença. Acho que todo o mundo está sentindo necessidade de mudar a cada dia. O preço dos combustíveis, o meio ambiente, as mudanças climáticas. Todas essas questões estão próximas de nós. Eu sabia que não ia fazer essa diferença em apenas um dia, assim decidi investir em um projeto maior para fazer uma grande mudança na minha vida“, afirmou Neville.

O ex-jogador defende a questão da sustentabilidade também nos clubes, incentivando a captação da água da chuva e o investimento em energias renováveis, como a solar e a eólica.

O Que Fazer num “Bad Hair Day”?

Sabe aqueles dias em que você acorda e percebe que seu cabelo não colabora, por mais que você tente deixa-lo legal parece que nada funciona? Pois é… Este é um bad hair day! Não existe mulher no mundo que não passe por ele e, por mais que não possam ser evitados, existem alguns truques para você fazer as pazes com seu cabelo: apliques prontos, tranças, coques, entre outros. Saiba agora como sair desta situação de maneira prática e ainda ficar super estilosa:

Coques

Coques podem ser a solução ideal para os fios rebeldes que teimam em ficar armados, além do que, um belo coque nunca sai de moda e sempre dá um charme, para o trabalho, para ir à faculdade, para festas, independente da ocasião, um belo coque é uma ótima dica! Para as mulheres que têm cabelo curto, existem apliques de rabo de cavalo que são ótimos para fazer coques.

Tranças

As tranças estão sempre em alta e são ótimas para disfarçar o bad hair. Hoje em dia existem muitos modelos de trança, embutida, escama de peixe, lateral, etc. É claro que nem todas têm habilidades com tranças, mas é possível encontrar muitos vídeos tutoriais na internet.

Rabo de cavalo afrouxado

Pode apostar no rabo de cavalo! Principalmente os mais soltinhos, meio larguinhos, são muito bem vistos pelos garotos. Eles dão um ar de estilo despojado, porém vaidoso. O mais legal de tudo é que o rabo de cavalo é um penteado muito prático e rápido. Contudo, sempre pode dar um toque a mais, utilizando alongamentos de franja, por exemplo. Apliques de franja são extremamente simples de serem manuseados e dispensam a necessidade de um profissional para a aplicação. Uma ótima dica é manter sempre grampos e elásticos de cabelo por perto, afinal eles podem te salvar nestas horas.

Ceras e produtos modeladores

A coisa está feia mesmo e nem um coque está resolvendo? O jeito é apostar nas ceras e produtos modeladores! Principalmente para quem tem cabelos cacheados ou ondulados e, no bad hair day, não consegue deixar os cachos definidos as ceras modeladoras são ótimas aliadas. Pomadas anti-frizz, mousses e sprays também ajudam bastante.

Assembleias Virtuais

Frente à correria do dia a dia, longas jornadas estressantes no trabalho, nos estudos e nos próprios trabalhos de casa, muitas vezes deixamos de lado algumas tarefas básicas, como comparecer às assembleias do condomínio que moramos, por exemplo.

A ausência à estas reunião acarretam vários problemas, pois, quando alguma decisão é aprovada, por mais que ela não te agrade, pelo fato de você não ter estado lá na hora da votação, não pode impedi-la. Cientes disso, administradoras de condomínios de São Paulo encontraram uma solução para realizar as assembleias sem a necessidade de ter a maioria dos condôminos presentes, surgindo assim as assembleias online.

Como elas funcionam?

Trata-se de uma reunião de condomínio realizada pela Internet, através de plataformas específicas. Nelas tanto os moradores quanto os administradores se encontram em um ambiente virtual, num horário estipulado antecipadamente e debatem sobre os assuntos que consideram mais importantes para a ocasião.

Antes de implantar esta nova ferramenta, é preciso tomar algumas providências. A principal delas é consultar a convenção do condomínio e certificar-se de que é permitido realizar reuniões desse tipo, pois, algumas convenções estabelecem que as assembleias sejam obrigatoriamente presenciais. Nestes casos, é preciso realizar uma reformulação no texto da Convenção, este deve ser aprovado em assembleia para só então passarem a ser realizadas as reuniões através da Internet.

O perfil do condomínio conta muito

É preciso também, antes mesmo de ir atrás deste serviço de administração de condomínios, analisar se a proposta estaria de acordo com o perfil do condomínio. Existem casos em que este tipo de assembleia acaba se tornando inviável. Nos prédios onde a maioria dos condôminos é composta por idosos, por exemplo, é aconselhado continuar com o sistema de assembleias presenciais e muitas vezes nem mesmo cogitar a ideia, pois, por se sentirem envergonhados, mesmo que esta parcela de moradores não concorde, acabam aceitando a proposta e tendo dificuldades futuras.

Existem ainda algumas administradoras que realizam serviços de auxilio para as assembleias, criação de regimento interno, etc. Tudo isso pode ajudar muito na implantação da assembleia virtual e até mesmo na presencial. É preciso analisar a proposta da empresa e verificar se ela atende à necessidade do seu condomínio.