As Causas e Sintomas das Varizes

As varizes podem aparecer em qualquer zona do corpo humano contudo, surgem mais frequentemente ao nível das pernas sob a forma de veias dilatadas e nodosas. Outros tipos de varizes comuns e localizadas em outras partes do corpo são as hemorroidas (no ânus), as varizes esofágicas (no esófago) e o varicocelo (no escroto). As pernas possuem dois sistemas de veias principais: as veias profundas que se localizam entre os músculos e as veias superficiais que são mais visíveis e recebem suporte dos tecidos envolventes.

Após a oxigenação dos tecidos das pernas, o sangue é recolhido pelas veias e bombeado para as veias no abdômen, que o devolvem ao coração. As válvulas existentes nas veias impedem o refluxo do sangue para o pé devido à força da gravidade. Estas válvulas têm que suportar uma grande coluna de sangue que por vezes se deteriora, provocando uma acumulação de sangue nas veias superficiais, tornando-as inchadas e nodosas.

As causas que podem contribuir para este cenário são a obesidade, alterações hormonais e pressão nas veias pélvicas durante a gravidez, alterações hormonais na menopausa e a permanência em pé durante longos períodos de tempo. As mulheres são mais afetadas do que os homens e o distúrbio tem uma sequência hereditária.

A idade é outro fator de que pode influenciar no aparecimento das varizes. Normalmente, o problema começa a aparecer na adolescência, quando a pessoa já tem uma predisposição genética para desenvolvê-lo. Nesse período, em que as mulheres apresentam maior carga de hormônio e os homens costumam crescer rapidamente, é comum perceber os primeiros sintomas. É muito raro identificar um caso de varizes nos bebês. Além disso, com o passar dos anos, o colágeno das veias diminui e a tendência é que elas se dilatem com mais facilidade.

As varizes causam uma dor intensa na área afetada e pode formar um edema nos pés e nos tornozelos e prurido cutâneo persistente. Os sintomas aliviam se a pessoa se sentar com as pernas elevadas. Em casos mais graves podem causar úlceras ou hemorragias e um angiologista deve ser consultado com a máxima brevidade.

O diagnóstico é simples bastando o paciente colocar-se de pé para que visualmente se constate o problema e o tratamento pode implicar a utilização de meias de descanso elásticas, caminhar regularmente, permanecer de pé pouco tempo e sentar-se com os pés elevados. Em casos mais graves poderá ser necessário realizar uma escleroterapia ou mesmo uma intervenção cirúrgica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *